quinta-feira , 20 julho 2017

Home » Sem categoria » Goiás na Frente: empresas de mineração anunciam investimento de R$ 2,3 bilhões no Estado

Goiás na Frente: empresas de mineração anunciam investimento de R$ 2,3 bilhões no Estado

maio 12, 2017 9:17 pm by: Category: Sem categoria Leave a comment A+ / A-

Goiás é destaque entre os demais estados brasileiros, num momento de dificuldade financeira, ao anunciar o maior pacote de obras do país (Goiás na Frente), com investimentos públicos de R$ 6 bilhões. Nesta sexta-feira, dia 12, em solenidade no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, várias empresas minerárias que atuam em Goiás anunciaram investimento de 750 milhões de dólares em projetos de exploração, ampliação e pesquisa mineral no Estado.

Agora, com mais esses investimentos privados da área de mineração 750 milhões de dólares (cerca de R$ 2,3 bilhões), a previsão de investimentos do setor privado no programa Goiás na Frente, que era de R$ 3 bilhões (600 milhões de dólares da Celg D/Enel, entre outros), deve ultrapassar os R$ 5 bilhões.

Não bastasse o esforço do Governo de Goiás em cortar gastos e fazer os ajustes necessários para garantir a saúde financeira de Goiás, com o pagamento em dia dos servidores e o funcionamento de todos os serviços prestados à comunidade, as empresas e o governo anunciam investimentos de 750 milhões de dólares em mineração (exploração, ampliação e pesquisa).

“O Programa Goiás na Frente dá um salto importante com esses novos investimentos do setor privado, devendo ultrapassar a casa dos R$ 5 bilhões. Isso mostra que foi bastante realista a previsão do Governo de Goiás, ao lançar o programa, e é também um forte argumento contra os que não acreditavam na sua viabilidade”, afirmou o titular da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), Vilmar Rocha, que no ato representou o governador Marconi Perillo.

“O Governo de Goiás prova que é possível sair da crise, disse o presidente do Instituto Brasileiro de Mineração, Walter Alvarenga, ao falar do ambiente propício do Estado de Goiás, considerado “pólo para o desenvolvimento da mineração brasileira”, e da atuação da iniciativa privada, que conta com o “apoio do governo ao setor produtivo, mão de obra qualificada e logística adequada”. Walter Alvarenga relatou ainda que “municípios com empresas de mineração têm um IDH mais alto que os demais, foi o que constatamos em pesquisas feitas pelo instituto”.

Vilmar Rocha disse que “mineração e agronegócio” são as bases da economia goiana. “Nos dois primeiros anos de seu mandato, o governador Marconi Perillo fez um ajuste fiscal muito sério. Com isso, ele conseguiu equilibrar o Estado e pôde, no início deste ano, anunciar investimentos, em vários setores, que representam a retomada do crescimento da economia goiana”, salientou Vilmar. Para o presidente da Federação das Indústrias de Goiás, Pedro Alves de Oliveira, “Goiás está acima da média nacional. Passamos pela crise de forma contundente porque aqui existe interação entre o governador e seus auxiliares”.

Tecnologias 

No ato, foi assinado protocolo de intenções entre o Governo de Goiás, Ministério de Minas e Energia, Universidade Federal de Goiás (UFG) e a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) para a implantação de um Centro de Desenvolvimento de Tecnologias para a Mineração na cidade de Catalão. “Esse centro vai, além de tudo o que ele representa, apoiar o curso de Mineração criado recentemente pela UFG no município. Goiás sempre esteve à frente do Brasil na geração de emprego e desenvolvimento, e esse setor é essencial para continuarmos crescendo, graças à sensibilidade do nosso governador”, lembrou Vilmar Rocha.

O centro tem como objetivo a geração e difusão de conhecimento e inovação tecnológica. Com equipamentos de ponta, neste ambiente serão desenvolvidas pesquisas básicas e aplicadas em geologia, tecnologias minerais e tecnologias limpas, além da prestação de serviços tecnológicos que atendam, com inovação e eficiência, às demandas do setor empresarial de mineração em Goiás.

O secretário de Geologia e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energias, Vicente Lobo, relatou estar especialmente feliz “por anunciar investimentos num estado que é exemplo para o país, por sua capacidade de reinventar, de acreditar, de investir, de gerar emprego e desenvolvimento. Goiás mostra, hoje, uma janela de oportunidades, de acreditar no país, de entender que o setor mineral é imprescindível para a nossa nação, setor que gera 200 mil empregos diretos”, afirmou Vicente.

Mineração em Goiás

Goiás é o terceiro polo mineral do Brasil, atrás apenas do Pará e Minas Gerais, não computados aí os estados produtores de petróleo. O setor representa cerca de 5% da produção nacional. Dentre os recursos minerais produzidos e tratados em Goiás, merecem destaque o amianto (maior produtor da América da Sul), níquel (maior produtor brasileiro), e ouro, fosfato e nióbio (2º produtor nacional).

Discriminação dos investimentos (em US$)

1. Anglo Gold Crixas – Cidade de Goiás – Ampliação/Exploração: 180.000.000,00
2. Mineradora Serra Verde – Minaçu – Implantação: 170.000.000,00
3. Yamana – Alto Horizonte – Ampliação: 170.000.000,00
4. Yamana Gold – Alto Horizonte Implantação: 48.000.000,00
5. Amarillo Gold – Mara Rosa – Implantação: 40.000.000,00
6. Edem – Nova Roma – Exploração/Implantação Sn: 30.000.000,00
7. Orinoco Gold – Faina – Exploração/Implantação – Au: 30.000.000,00
8. Santo Expedito – Barro Alto – Verticalização Bauxita: 10.000.000,00
9. Votorantin Metais – Todo Estado – Exploração Mineral: 10.000.000,00
10. Brasil Minérios – Catalão Implantação – Vermiculita: 10.000.000,00
11. Edem – Arenópolis – Exploração Implantação: 5.000.000,00
12. Five Star – Catalão – Exploração/ Implantação: 4.000.000,00
13. Mineradora Corcovado – Nova Roma – Implantação Mármore: 4.000.000,00
14. Rio Granito Diversos–  Implantação Verticalização: 2.500.000,00
15. Codelco Regional – Exploração Cobre: 1.500.000,00
16. Cleveland Mining – Crixás – Exploração Ouro: 1.000.000,00

Informações sobre os maiores empreendimentos

► Anglogold – Mineração Serra Grande:

• Em operação há cerca de 30 anos em Crixás, a Mineração Serra Grande é parte da Anglogold Ashanti, líder nacional na produção de ouro.

• Nos próximos três anos prevê cerca de R$ 560 milhões para a continuidade do negócio, bem como descoberta de novas jazidas que possam aumentar a vida útil do empreendimento.

• Desse total, cerca de R$ 260 milhões são destinados para acesso a novos corpos de minérios em operação.

• Destaca-se ainda mais de R$ 350 milhões a serem despendidos pela serra grande em 2017 para custear mão de obra, materiais e serviços que sustentarão suas atividades mineiras.

► CMOC – Catalão
Focada em mineração e processamento, fundição, tecnologia de produtos, comércio, pesquisa e desenvolvimento, a companhia concluiu a aquisição das operações da Anglo American de nióbio e fosfato em Catalão, Ouvidor (GO) E Cubatão (SO), por R$ 1,7 bilhão de dólares.

► Votorantim
• A Votorantim Cimentos colocou em operação a sua nova fábrica de calcário em Edealina, com capacidade produtiva anual de 2 milhões de toneladas de cimento, vida útil estimada em 45 anos.

• No depósito, a empresa pretende extrair cerca de 12 mil toneladas/dia.

• Entre empregos diretos e indiretos serão geradas 600 vagas.

• A empresa irá abastecer os mercados de Goiás, Triângulo Mineiro e Regiões Norte e Noroeste do Estado de São Paulo.

• O investimento total na planta é de R$ 600 milhões.

► Cleveland Mining
• A Australiana Cleveland Mining levantou, com a emissão de 17,9 milhões de ações, 1 milhão de dólares. Os recursos serão usados para custear a campanha de sondagem, em especial no prospecto Dona Maria, em Crixás, parte do projeto O Capitão Gold Project.

► Mineração Serra Verde Do Grupo Mining Ventures Brasil (MVB)
• Financiada por capital privado norte-americano, assinou protocolo de Us$ 170 milhões para construção de planta de exploração e beneficiamento de terras-Raras, com investimentos de R$ 1,2 bilhão em dez anos.

• O processo de beneficiamento é inédito no país, com a separação em terras-raras individuais para a utilização na produção de materiais estratégicos presentes, em diversos tipos de produtos.

Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás 

Goiás na Frente: empresas de mineração anunciam investimento de R$ 2,3 bilhões no Estado Reviewed by on . Goiás é destaque entre os demais estados brasileiros, num momento de dificuldade financeira, ao anunciar o maior pacote de obras do país (Goiás na Frente), com Goiás é destaque entre os demais estados brasileiros, num momento de dificuldade financeira, ao anunciar o maior pacote de obras do país (Goiás na Frente), com Rating: 0

Leave a Comment

scroll to top